23/06/2007

“Aprendendo com os erros.”

Outro dia li uma entrevista com um autor famoso que, orgulhando-se do sucesso profissional que conquistara em sua vida, dizia não se arrepender de nenhum de seus erros que, até mesmo, os repetiria pois foram eles que o conduziram ao status que desfruta atualmente. O senso comum partilha desse ponto de vista, muitos acham que para a prender alguma coisa na vida é necessário “quebrar a cara” para aprender a maneira certa de viver. Infelizmente, para os que partilham esse ponto de vista, a Bíblia nos ensina o contrário: nós não aprendemos com o erro, mas sim com a atenção que damos ao aprendizado prévio, ou à correção de um erro, ou com as consequências do erro. Note que apesar da confusão generalizada quanto a esses termos eles não são consequências do erro, mas são oposição ao erro.

Aprender, corrigir, arrepender-se. São termos comuns nos textos bíblicos quando referem-se ao caminho da Salvação em Cristo. O manual para isso é a Palavra de Deus.

Jesus mandou que fossemos pelo mundo e ensinássemos o que ele fez, logo quem ensina o faz para que outros aprendam antes dos resultados terríveis. Imagine uma aldeia onde moram algumas poucas pessoas que precisam atravessar uma floresta cheia de perigos mortais para chegar à cidade e comprar viveres, os mais jovens precisam aprender com os mais velhos como vencer os perigos da mata para vencê-los também, mas vez por outra algum jovem mais atirado embrenha-se confiante sem ouvir o ensino dos mais avisados. A grande maioria não retorna com vida. Assim acontece com muitas pessoas que tentam enfrentar a vida espiritual sem ouvir e viver o ensinamento bíblico, morrem antes que possam perceber como seria melhor aceitar o que a escritura ensina. Nesse caso, o erro não ensinou nada, mas o ensino que foi desprezado poderia ter ensinado.

Jesus também chama a atenção para corrigirmos a nós mesmos e incentivarmos os outros a corrigirem-se também. Uma pessoa que erre o caminho para um destino em que queira chegar, nunca chegará se continuar tomando caminhos errados. Mas se ela corrigir o seu erro, mesmo que aparentemente tarde, ela chegará ao seu lugar de descanso. Mais uma vez o erro não ensinou nada, foi a correção do erro que o levou ao lugar certo. Quem tenta viver pela “tentativa e erro” na vida espiritual pode perder tanto tempo que acabe o prazo para fazer o que é correto. Se contratarem um serviço valioso a você, com um prazo rigoroso, o que fará? Deixará para a última hora ou fará o quanto antes? Alguns deixam para tomar decisões espiritualmente corretas na última hora, mas às vezes o prazo de nossa vida acaba e resta-nos a consequência do erro e da protelação.

Quanto ao erro Jesus também nos orienta ao arrependimento. Muitos dizem que o homem não tem o direito de se arrepender, e não teria mesmo, pois é culpado de todos os seus pecados sem exceção de nenhum. Não foi a toa que Jesus morreu por nós, só Ele poderia substituir nossos erros e pecados e nos conceder a oportunidade real de corrigí-los e mudarmos de direção. Quem diz que não podemos nos arrepender é alguém tão incapaz de nos redimir quanto nós mesmos, mas Jesus é capaz de tudo e libera para mim e para você o perdão de Deus. Mais uma vez o erro não nos ensina nada, mas o reconhecimento humilde de nossa pecaminosidade com arrependimento e entrega a Jesus muda nossa vida eternamente.

Quero convidar você a meditar:

  • Que erros precisamos corrigir?

  • Temos nos orgulhado de nossos erros ou buscado corrigi-los com arrependimento?

Essas são perguntas difíceis que só podemos responder em nosso interior. Talvez elas estejam fervilhando ou fervilhem em nossos pensamentos ocasionalmente. O importante é que não fiquem sem resposta, pois Deus estabeleceu um prazo para responde-las: enquanto vivemos.