09/03/2007

Fazendo o bem e anunciando a Cristo.

Portanto, aquele que sabe que deve fazer o bem e não o faz nisso está pecando. Tiago 4.17
Ontem ouvia A Voz do Brasil (não estranhe não, estava ouvindo mesmo) na vigem para casa, o locutor narrava resumos de discursos dos deputados quando o de um deputado, que não consegui anotar o nome, me chamou a atenção. Falando sobre violência, o parlamentar citou um jovem delinqüente alemão (acho) que declarou serem também culpados da violência, aqueles que podem dar um bom exemplo e não fazem isso. Imediatamente lembrei-me do texto bíblico transcrito acima. O evangelho é transformador de indivíduos, não promete transformar toda uma sociedade pois o seu foco é estritamente a responsabilidade individual diante de Deus, mas ao mesmo tempo fomos chamados a anunciar a Palavra de Deus ao mundo e quanto maior o número de indivíduos transformados, melhor será a convivência entre as pessoas, afinal, somos o sal da terra, aqueles que devem dar sabor à vida das pessoas pela pregação do evangelho e pelas atitudes cristãs na sociedade em que vivemos. Até um delinqüente pode, de certa forma, perceber isso mas ultimamente os cristãos tem se preocupado com tantos afazeres que tem esquecido de seu poder e dever de influenciar para o bem outras pessoas. Alguns se preocupam em oferecer milagres e curas, mas seus fiéis continuam doentes espiritualmente. Outros procuram mostrar grande sabedoria ou eficiência no que fazem, mas são muito sábios e eficientes em fazer muito pouco. Outros, até me incluo, vêem tudo isso e tecem suas "críticas construtivas". Devemos ultrapassar a "crítica construtiva" e passar a ação construtiva. Se um construtor estudar engenharia a fundo, comprar um terreno para construir sua casa, e ficar apenas trocando criticando as possíveis ações sem tomar atitudes, sua casa nunca será construída. É interessante notarmos que Tiago nos diz que você deve saber qual é o bem que deve fazer, e tomar uma atitude. Quem não sabe fazer o bem ou fará o mal, ou se omitirá o que no fundo tem o mesmo resultado. Isso nos leva a algumas indagações: – Se sabemos o que Deus quer de nós, porque não fazemos? – Será que o que dizemos, ou ouvimos dizerem, ser a vontade de Deus está de acordo com a Bíblia ou atende mais à nossa própria vontade? – Temos nos preocupado com o outro, tanto quanto com nós mesmos, ou vivemos uma fé egoísta? São perguntas que nós mesmos devemos responder se queremos fazer o bem que conhecemos da Palavra de Deus.