19/08/2006

Um Fiador Confiável

A maioria das religiões defende que só se chega ao céu através do cultivo de boas obras, numa espécie de purificação ou compensação pelos nossos pecados. A Bíblia diz que não é assim, afirma que somos incapazes de alcançar a Salvação por nossos próprios esforços e por isso, Jesus morreu como sacrifício em nosso lugar para livrar-nos do peso do pecado. Se as boas obras fossem o suficiente Jesus não precisava vir a esse mundo morrer por nós. Talvez, devido a esse conceito expiatório das obras que é muito difundido em nossa sociedade as pessoas julguem as outras pelos seus erros (acreditando até que há erros sem perdão) sendo, elas mesmas, passíveis de erros semelhantes. Esse julgamento também acontece com pessoas fiéis a Deus, um exemplo é o rei Davi, considerado “o homem segundo o coração de Deus” mas que cometeu erros graves para com Deus como o adultério e o assassinato. Deus puniu Davi entregando-o às conseqüências (provocadas pelo próprio Davi) do seu pecado que foi a desestruturação de sua família. O próprio filho de Davi, Absalão, buscava mata-lo para tomar seu trono. É nessa situação, já arrependido, que Davi escreve o Salmo 3 falando sobre o julgamento das outras pessoas sobre o seu pecado e sobre o perdão e Salvação de Deus concedida ao homem arrependido. O versículo 2 nos mostra que as pessoas acreditavam que não existia Salvação para Davi, pois seu pecado era muito grande, o salário de suas obras seria a condenação. Às vezes sofremos as mesmas acusações e julgamentos que esse rei, humano e falho como nós, mas devemos aprender algumas coisas com Davi que fizeram toda a diferença para que ele pudesse superar o seu pecado e encontrar a Salvação:

  1. Acreditar que Deus é justo mas também é perdoador. O perdão de Deus nos oferece uma defesa impenetrável (versículo 3 – “escudo”) contra qualquer julgamento, afinal, se Ele que é o juiz perfeito nos absolve, quando arrependidos, quem poderá nos julgar?
  2. Clamar ao Senhor quando nossas possibilidades de ação se esgotarem. Davi não tinha mais o que fazer por suas próprias forças, precisava da ajuda de Deus e clamou a Ele com certeza de que Deus atenderia. Quando estivermos em situação semelhante devemos fazer como Davi: clamar com confiança (versículo 4).
  3. Apesar do imenso problema que passava, Davi não se desesperou, ele conseguia deitar, dormir e acordar em paz. Quantas vezes os problemas que nos cercam nos tiram o sono? Devemos exercitar a confiança em Deus. Não sei se a etimologia da palavra “confiança” quer dizer isso, mas veja só, “con-fiar” é ter alguém tão leal, amoroso e poderoso ao seu lado que você pode colocar nas mãos dele a sua dívida ou seus problemas (em fiança) pois ele não falhará, mesmo que você esteja sujeito a falhas.

Tudo isso em que Davi acreditava ocorreu em sua vida (confira a história completa nos livros de Reis e Crônicas), Deus o salvou, mas não foi devido a suas boas obras. O motivo de sua Salvação foi seu arrependimento e confiança em Deus. Essa realidade se repete hoje em dia em muitas vidas que, não vendo outra saída, arrependem-se e fiam suas dívidas espirituais a Deus. Todos nós devemos parar, meditar em nossas dívidas e pecados para com Deus e tomar uma atitude semelhante a Davi. Com certeza o resultado final será maravilhoso.