24/08/2006


Segurança Máxima à qualquer hora No salmo anterior, salmo 4, o salmista diz que dormia em paz por confiar em Deus. Neste, o salmista apresenta sua oração em outro momento do dia, pela manhã. Podemos notar nos dois textos mencionados que o salmista passava por uma provação constante, seus inimigos não recuavam e atacavam cada vez com mais força, mas Davi nos dá outra lição: mesmo que os inimigos (ou problemas, ou o pecado) pareçam nos cercar de todos os lados ameaçando nos destruir devemos ter certeza que Deus nos "cerca com sua benevolência" (versículo 12). Era essa certeza que fazia o salmista buscar a Deus constantemente, desde a manhã até o anoitecer, pois ele podia sentir a benevolência de Deus em sua vida "como escudo" (v.12). Note-se que o salmista tinha essa confiança porque era obediente a Deus, ao contrário de seus inimigos. A obediencia a Deus, no tempo de Davi, tinha a forma da lei que Deus entregara a Moisés que mostrava ao homem como viver de forma justa e agradável ao Senhor, hoje, a obediencia a Deus está em aceitar seu amor através do sacrifício substituto de Jesus por nós na cruz. O servo obediente pode ter certeza da benevolência de Deus pois se aproxima de um Senhor que não o rejeita e se coloca sob o seu cuidado, o desobediente afasta-se de Deus e fica à sua própria sorte e isso não é satisfatório. Devemos ser obedientes a Deus como Davi para sentirmos sua benevolência constante cercando nossas vidas como um escudo. Será que alguém que nós conhecemos encontra-se precisando dessa maravilhosa proteção e, ainda assim, desobedece a Deus não aceitando seu amor através de Cristo? Falemos e desfrutemos dessa benevolência e proteção de Deus que não requer de nós nada mais do que submissão ao seu amor.